Gestão de otimização de processos

gestão de otimização de processos

Gestão de otimização de processos

A Otimização de processos (no inglês, processo otimization) tem como propósito identificar pontos de melhorias na organização da empresa. Além disso, a gestão de otimização de processos é essencial para encontrar maneiras de aperfeiçoar os processos. E, por consequência, alcançar melhores resultados economizando, por exemplo, tempo e dinheiro.Nesse artigo, você irá aprender os principais passos para aperfeiçoar um processo.

1. Mapear os processos

Nessa etapa deve-se compreender todas as atividades feitas pela empresa a fim de aperfeiçoar os processos. Nela, deve-se entrevistar os responsáveis por cada setor que será atualizado. Assim, suas perguntas devem ter como objetivo entender o processo passo a passo. Dessa forma, ele poderá ser facilmente descrito e os problemas do processo poderão ser identificados. A seguir, alguns exemplos de perguntas:

  • Quais atividades fazem parte desse processo?
  • Quanto tempo é necessário para concluir esse processo?
  • O número de pessoas que realiza esse processo atualmente é adequado?
  • Qual a parte mais importante do processo?
  • Qual o objetivo do processo?

Ademais, deve-se mapear os processos. Um bom recurso de mapeamento é o BizagiModeler. Esse recurso o ajudará a descrever de forma visual todo o processo. Dessa forma, qualquer pessoa da organização poderá entender suas complexidades.

Bizagi Modeler > Modeling a process > Advanced topics > Interaction between processes > Example: Interaction between processes

 

2. Identificar melhorias

Aqui, deve-se identificar todos os pontos que possam ser melhorados levando em conta o processo que foi mapeado na etapa anterior. Para isso, sugerimos a metodologia 5W2H por sua fácil visualização e etapas autoexplicativas.

A ferramenta de gestão 5W2H

3. Implementar melhorias

Nessa etapa, deve-se mapear o novo processo ideal, levando em conta as melhorias propostas na etapa anterior. Esse mapeamento pode ser feito no Bizagi Modeler, a fim de facilitar sua visualização.

Para melhor entender as melhorias que o mapeamento de processos pode trazer para sua empresa, clique aqui e conheça mais desse serviço.

4. Monitoração de resultados

Por fim, deve-se monitorar os resultados atingidos objetivando testar se as mudanças mapeadas surtiram o efeito desejado. Portanto, fique atento aos funcionários, observando se eles estão seguindo o novo processo corretamente. 

Para estar falando com um dos nossos consultores, clique aqui e saiba com maior propriedade como implementar um gestão ágil de processos na sua empresa!

 

Por que e como definir seu público alvo na reabertura do comércio

porque e como definir seu público alvo

Por que e como definir seu público alvo na reabertura do comércio

As mudanças ocorridas em muitas empresas na forma de entregar seus produtos e serviços devido ao cenário de um comércio físico praticamente inviável sucedeu, na maior parte dos casos, em mudança do público que consumia. Em parte, isso se dá por conta de os gestores não verem porque e nem como definir seu público alvo, principalmente na reabertura do comércio.

Por exemplo, um restaurante que atendia exclusivamente presencialmente e passou a entrar no mercado de delivery, teve de se esforçar para alcançar um público maior, menos local e sair da sua zona de conforto. Essa mudança nem sempre (quase nunca) é tão fácil quanto parece, uma vez que a definição concreta de um público alvo pode trazer diversos benefícios, como:

  • Saber exatamente que tipo de campanhas devem ser feitas: se seu público não se concentra em uma região específica, a panfletagem pode não ser ideal. Caso ele tenha idade mais avançada, as campanhas por mídias sociais não farão tanto sentido. O não conhecimento do público pode fazer com que dinheiro e tempo sejam desperdiçados atacando o objetivo de forma equivocada.
  • Possíveis melhorias no produto ou serviço prestado: é possível identificar o que seu público alvo mais valoriza, o que para ele é irrelevante, quais são seus principais problemas e o que ele mais deseja alcançar quando compra seu produto. Tendo esse conhecimento, se torna muito mais claro onde a empresa deve se concentrar para melhorar.
  • Utilizar a linguagem adequada na comunicação e marketing: ao conhecer seu público alvo você garante que está se comunicando da melhor maneira, nem mais popular e nem mais culto do que o ideal para satisfazer os seus clientes.

Agora que você já entendeu o porque definir seu público alvo, pode estar se perguntando como fazer isso. É o que abordaremos nos 5 passos abaixo, para que você saiba como se posicionar nessa reabertura de comércio.

1. Conheça sua empresa

É de suma importância identificar o que a empresa vende, qual valor ela agrega as pessoas e como ela se comporta perante aos concorrentes.

2. Busque informações sobre o seu mercado e o comércio

Este ponto diz respeito a identificar se o seu mercado está em crescimento, se ele tende a crescer ou a decrescer no futuro e quem são os seus concorrentes, entendendo o que eles oferecem.

Para melhor entender como analisar o mercado, clique aqui para conferir nosso post referente à análise de mercado.

3. Conheça os seus atuais clientes

Essas informações podem ser feitas através de entrevistas com as pessoas que já compram seus produtos. É ideal, para lidar com clientes da empresa, que se tenha uma abordagem agradável.

4. Identifique qual o seu cliente ideal (ICP)

Além de conhecer as pessoas que já se tornaram seus clientes, é importante identificar e buscar informações sobre aquelas que você gostaria que fossem seus clientes. A junção do perfil do cliente ideal com o perfil dos clientes que a empresa já dispõe pode ser definida como o público alvo.

5. Coloque a mão na massa (definir e implementar)

Por fim, de nada adiantaria ter todo esse conhecimento e não aplicá-lo no marketing da empresa para efetivamente atrair mais pessoas. No último passo, a empresa deve concentrar seus esforços naquilo que mais atrai o seu perfil de cliente ideal e seus atuais clientes. Você pode se perguntar se, com essa concentração, uma parte do público que poderia se tornar cliente pode ser deixada de fora. Sim, é verdade, mas aqui estamos buscando resultado, se uma pessoa está fora do seu público alvo, é porque a probabilidade de ela se tornar seu cliente é muito menor. Concentrando dinheiro e tempo no alvo certo, o resultado virá de forma muito mais rápida e precisa.

Como vimos, o público alvo se trata de um grupo de pessoas que possuem maior disposição a comprar determinados produtos dadas suas características pessoais.

A ADM Soluções se dispõe a auxiliar aquelas pessoas que buscam uma forma assertiva de definir seu público alvo. Você pode entender mais clicando aqui para realizar um diagnóstico gratuito.

Como sua empresa pode se adaptar ao meio digital

Como adaptar sua empresa ao meio digital

Como sua empresa pode se adaptar ao meio digital

O isolamento social causado pela pandemia do Covid-19 trouxe diversos impactos para a economia no Brasil. Com isso, diversas empresas precisaram se reinventar para passar por essa crise, até mesmo se utilizando de e-commerce. Entenda nesse post como adaptar sua empresa ao meio digital.

De acordo com o Serasa Experian houve uma queda de 16,2% na atividade comercial somente no mês de março, lembrando que o isolamento só se iniciou em boa parte do estado entre os dias 15 e 17 de março de 2020. Ou seja, mesmo com os primeiros 15 dias do mês com o comércio operando normalmente, houve um índice de diminuição gigante que foi recorde desde os anos 2000.

Dessa forma, com o alongamento do isolamento social, as empresas receberam o empurrão que precisavam para entrar de vez no meio digital. Nesse sentido, antes mesmo da pandemia as empresas já estavam apostando fortemente na internet como forma de expansão.

Contudo, antigamente era uma opção da empresa, podendo se manter apenas com crescimento no meio físico. Porém agora é praticamente uma obrigação começar a adentrar dentro do meio digital para que a organização não tenha perdas de grande volume.

Confira nesse post como estar realizando essa adaptação!

 

1. Tenha em mente que abrirá um novo negócio  

 

Pode parecer estranho, mas é exatamente isso, pois mesmo que a organização tenha meios de comunicação pelas mídias sociais, isso não significa necessariamente que ela está adaptada para entrar no meio digital. Então, na realidade, ter contato com as redes sociais no mercado atual é um dos requisitos mínimos para a operação de uma empresa. Em suma, o gestor deve ter em mente que a lógica para vender online é completamente diferente de vender fisicamente. 

Para entender melhor a importância de analisar o mercado, clique aqui e confira esse outro post do nosso blog!

 

2. Planeje a entrada da empresa no meio digital  

 

Esse é o momento de fazer diversas reflexões e iniciar o pensamento de como vai ser a empresa digitalmente. Qual plataforma será usada? Será gratuita ou paga? Tem capital suficiente para o investimento? Se não, quais meios serão usados para adquirir? Seus funcionários tem capacitação para atuar digitalmente? A empresa tem redes sociais? Se sim, como podem ser usados os esforços para melhoria do seu crescimento digitalmente? É uma série de indagações que vão criando um esquema de passo a passo a ser seguido.

 

 

3. Estude para se reinventar 

 

Querendo ou não, o meio digital será um território novo, onde podem ser encontrados novos players, jogadas de marketing diferentes, formas de avaliar o público alvo. Logo, tudo isso será muito novo, e será bastante informação que deverá ser analisada em um curto período de tempo. Portanto, os gestores, assim como os funcionários da empresa devem procurar sempre o funcionamento do meio digital para conseguir se adaptar a realidade da empresa.


Fale com um de nossos consultores!

Metodologia OKR em vendas

okr em vendas

Metodologia OKR em vendas

O sucesso de uma equipe de vendas é, geralmente, atribuído a metas, comissões e uma equipe que se motive com elas. Aqui, veremos como a metodologia  OKR em vendas pode ser utilizada para melhorar os resultados de uma companhia.

A metodologia OKR foi popularizada nas últimas décadas graças ao seu sucesso em grandes empresas do mundo, como Google e Intel. Visto que, o OKR serve para que haja a interpretação da estratégia por parte das áreas. Fazendo que estas entendam como agir para melhorar o desempenho total da empresa.

Assim, a interpretação ocorre em forma de indicadores e metas destrinchadas para todas as equipes. 

O diferencial dessa metodologia se dá em algumas ordens primordiais:

1. Torne claros os objetivos dos OKRs em vendas repassados aos colaboradores de todos os níveis

As metas, no OKR, aparecem em forma de objetivos e esses objetivos são compostos por resultados-chave. Os resultados-chave são os objetivos do colaborador que está no nível abaixo.

Então, se por exemplo, o setor comercial possui quatro vendedores e o objetivo do gerente comercial é conquistar um faturamento de R$ 60.000 reais, ele pode compor esse valor com quatro resultados-chave (um para cada vendedor). Portanto, com o título “Conquistar um faturamento de R$ 15.000”, as metas ficam mais claras.

Para melhor entender como reavaliar sua estratégia e as metas que sua empresa almeja alcançar, clique aqui e confira outro post do nosso site.

2. Estabeleça metas ousadas para os OKRs

Não pressuponha que você irá atingir todas as suas metas, escolhe um valor que irá desafiar sua equipe a dar o melhor de si. No entanto, o exagero pode causar desmotivação do time por haver metas inalcançáveis.

Como por exemplo, a Google, empresa gigante no mercado internacional, pressupõe que se a empresa alcançar 70% de suas metas, cumpriu bem o seu papel. Isso põe os pés da equipe no chão sem retirar o desafio que ela sente ao olhar para a meta em seu composto total.

3. Divulgue as metas de vendas

A ideia aqui é tornar todos da equipe e da empresa engajados na busca pelo resultado, de forma que todas as pessoas saibam as metas. Logo, fazendo que todos possam acompanhar o resultado constantemente. Dessa maneira, todos se motivam a atingir os seus próprios resultados para não ficar para trás e atrapalhar o grupo.

4. Não recompense os seus colaboradores olhando apenas para os números das vendas

A metodologia prega que, se seus funcionários entendem a importância de alcançar os objetivos da empresa, não se prenderão a metas e buscarão dar o melhor resultado possível. Dessa forma, indo além da busca pela comissão na sua tomada de decisões.

Logo, imagine que João alcançou uma meta fácil e que não demandou um ótimo desempenho. Enquanto Maria alcançou apenas 80% de uma meta desafiadora e que dificilmente outro colaborador alcançaria. Qual dos dois mereceria o maior bônus? Provavelmente Maria, não é?

Considerando isso, a remuneração variável deve ocorrer considerando o rendimento do colaborador por completo. E assim, não o resumindo em um simples número.

Saiba como se utilizar de mais metodologias e impulsionar suas vendas falando com um de nossos consultores:

 

Como reavaliar a estratégia da sua empresa no cenário de reabertura da economia

Como reavaliar a estratégia da sua empresa no cenário de reabertura da economia

Como reavaliar a estratégia da sua empresa no cenário de reabertura da economia

É de conhecimento público que o cenário econômico atual do Brasil se encontrava em crescimento gradual. Contudo, com a pandemia causada pelo vírus Covid-19 o cenário se modificou rapidamente o que fez com que a economia voltasse a declinar. Visto esse cenário, o mercado precisou reabrir, sendo necessário reavaliar a estratégia das empresa.

De acordo com o SEBRAE mais de 9 milhões de funcionários foram demitidos e 600 mil micros e médio empresas fecharam suas portas durante essa pandemia. Então, as empresas que ainda estão de portas abertas necessitam reavaliar sua estrutura organizacional e principalmente sua estratégia para conseguir se manter firme no mercado.

Logo, é necessário, ao reavaliar a estratégia da sua empresa na reabertura da economia:

1. Entender seu público pós reabertura da economia

Isso se faz necessário pois é facilmente notável que diversos pensamentos foram reavaliadas pelas pessoas nesse tempo de isolamento social. Logo, a forma como elas podem visualizar seu produto ou serviço provavelmente não é a mesma visualização antes da pandemia. Então se faz necessário uma pesquisa de mercado com o seu público para entender se ele ainda é o mesmo. Além de perceber quais suas necessidades, seus desejos e empecilhos para então entender como sua estratégia se porta ao mercado.

2. Avaliar profundamente a estratégia antes da pandemia

Ao se ter entendido o seu público alvo e como está o mercado que você está inserido, é  momento de fazer uma avaliação extremamente crítica da estratégia de sua empresa antes do isolamento social. Então deve-se entender como ela estava fazendo sua empresa se desenvolver economicamente e como eram as projeções de crescimento futuras. Isso é necessário para entender se a estratégia da empresa já não era mais viável antes mesmo de todas essas mudanças.

3. Reavaliar a estratégia no cenário atual

Nesse ponto, é necessário ver se a estratégia da empresa irá coincidir com os desejos do público alvo da organização, se com a estratégia vigente os empecilhos dos clientes serão solucionados, pois lembrando que a empresa sempre deve estar alinhada com as necessidades do seu público alvo. Feito isso é necessário ver como a estratégia irá fazer com que a organização consiga contornar ou mitigar os problemas que a reabertura da economia vai trazer consigo, como as mudanças no ponto de vista social. 

Por fim a partir da validação ou reestruturação da estratégia novos planos de ações devem ser traçados nas áreas da empresa. Para que, afinal, a empresa consiga se sobressair desse momento e ir contra as previsões do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) que prevê um crescimento das empresas extremamente lento durante o período pós pandemia.

Saiba como reavaliar sua estratégia falando com um de nossos consultores:  

A importância de analisar o mercado

A importância de analisar o mercado

Analisar o mercado significa ter informações complexas e estruturadas sobre o ambiente em que a sua empresa está inserida. Principalmente sobre como ela está atuando no ramo, quem são seus concorrentes, como as decisões dos gestores podem afetar internamente, e se isso trará sucesso ou fracasso para o empreendimento. Esta análise do mercado irá fornecer para o gestor qual segmento é mais interessante e produtivo para a sua organização, pois ele terá um embasamento de dados e informações assertivas. Isto é, uma visão específica do ambiente externo da empresa, fazendo com que o gestor possa perceber e detectar os atuais riscos, e os riscos futuros quando tomar suas decisões em busca de expansão.

Objetivos de uma análise de mercado

O objetivo principal para analisar o mercado é compreendê-lo, e verificar em que cenário está inserido para melhor captar as oportunidades que ele oferece. Isso diminui a taxa de risco nas decisões com base em dados e em informações mais assertivas. Assim, estar inserido no mercado significa que as empresas sempre vão lidar diariamente com situações que necessitam de uma decisão embasada em dados seguros, para que se tenha uma melhor possibilidade de sucesso. Por isto, uma boa análise de mercado além fornecer uma compreensão melhor do ramo atual da organização, irá proporcionar uma possibilidade de antecipar oportunidades e então se preparar para conseguir captá-las e usá-las a seu favor para aumentar seus lucros e prevenir ou minimizar possíveis prejuízos causados por uma decisão importante como a de lançar ou não um novo produto no mercado.

Execução da análise de mercado

Uma análise bem aprofundada vai fazer com que a empresa tenha um olhar macro de onde ela deseja atuar. Com isso, deve-se tratar de um processo para determinar fatores, condições e características do mercado. Nesse processo a matriz SWOT é muito utilizada. Se trata de uma técnica que vai ajudar a empresa a reconhecer os pontos fortes e fracos, que são internos, e suas oportunidades e ameaças, que são externos e como esses pontos podem auxiliar o seu desenvolvimento nos pontos fortes e como os pontos fracos estão retardando o seu crescimento. A finalidade disso é poder analisar como os pontos fortes podem ser usados para resolver ou minimizar os impactos que os pontos fracos
causam na organização.

Visto isso, um fator importante em uma Análise de Mercado é entender a magnitude do comércio. Pois quanto maior o mercado, maior a concorrência. Isso significa que a empresa deve oferecer seus produtos e serviços da melhor qualidade para que se destaquem diante da concorrência, portanto ao se analisar o segmento em que a organização está inserida ela poderá conhecer o que seus concorrentes estão ofertando e seus produtos estão sendo mais rentáveis dos que os seus para então trazer estratégias de resolver estes problemas e ainda com uma qualidade superior aos demais.

Público Alvo

Outro fator de muita importância é o conhecimento do público-alvo, de forma mais qualitativa, conhecer os hábitos de consumo e estilo de vida do seu consumidor, informações para serem mensuradas. Pois conhecendo seu público-alvo poderá idealizar campanhas de marketing e modificar o seu produto para que seja mais atraente aos seus clientes. Consequentemente será mais valioso ao olhar do cliente. Com isso, o ideal é delimitar uma faixa de público que se quer abordar, e a partir daí elaborar questionários e sair às ruas para conversar com essas pessoas.

Obtendo essas informações como  hábitos de consumo, canais de comunicação mais utilizados, dentre outras informações sobre seu público-alvo, facilita para que você construa a sua Buyer Persona. Você pode conhecer um pouco mais sobre definição de persona e seu conceito clicando no link abaixo:

Dificuldades causadas pela ausência de uma análise de mercado

A ausência de um entendimento do contexto geral que a empresa está inserida, pode causar diversos problemas. Contudo, sem essa visão do contexto, a tomada de decisão dos gestores se torna difícil sobre o futuro da organização. Visto que todas as decisões precisam ser pensadas nos impactos que causarão no presente e ainda mais os impactos que podem afetar a continuidade do funcionamento da empresa.

Logo, este desconhecimento do mercado em que a organização está inserida irá fazer com que o gestor tome decisões sem embasamento da realidade da empresa podendo trazer perdas ao seu negócio. Em contrapartid a, sem o conhecimento de seu público-alvo suas campanhas de marketing e seus produtos poderão ser irrelevantes para os consumidores da organização. Isto se da porque eles não se adequam às suas necessidades. Consequentemente, tendem a preferir a concorrência, o que trará grandes prejuízos para o gestor.  Isso pode ser visto em consequências como a diminuição da demanda causada pela alta concorrência. Além disso, também terá desconhecimento das necessidades do mercado e um baixo retorno dos recursos para a divulgação da empresa e do seu respectivo produto.

Com base no que foi dito, você consegue analisar facilmente o mercado em que sua empresa atua? A ADM Soluções tem a solução perfeita para você com nossa Pesquisa de Mercado!

Clique no link abaixo e deixa que nós trazemos todo o embasamento de mercado para sua empresa!

Como se recuperar de uma crise?


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /var/www/html/admsolucoes.com.br/web/wp-content/plugins/email-before-download/includes/class-email-before-download-db.php on line 56

Como se recuperar de uma crise?

 

“Mais de 30% das empresas de todos os setores já sentiram os impactos da pandemia de coronavírus sobre seus negócios em março de acordo com o levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV). A instituição incluiu nas suas sondagens do mês tópicos especiais para pesquisar os efeitos da crise sobre empresas e consumidores”.

Fonte: Mais de 30% das empresas sentiram impacto de coronavírus em março, diz FGV. Exame, 2020. Disponível em: <https://exame.abril.com.br/economia/mais-de-30-das-empresas-sentiram-impacto-de-coronavirus-em-marco-diz-fgv/>. Acesso em: 16 de abril de 2020.

A CRISE

Essa crise causada pelo COVID-19 bateu na porta de todos os empreendedores do mundo. Isso fez com que mais de 30% das empresas tivesse impactos quase irreversíveis, e até mesmo o fechamento de diversos empreendimentos. Tais empresas deixaram de faturar devido à baixa nas suas vendas e transações comerciais. Você, empreendedor, deve se perguntar “e agora? Que passos tomar para se recuperar de uma crise?”

E com o intuito de nortear os empreendedores brasileiros num recomeço para o seu negócio, a ADM Soluções consultoria em gestão empresarial, trouxe esse conteúdo especial.

Então você deve se perguntar: mas afinal, que passos tomar para se recuperar de uma crise?por onde devo começar? O que eu tenho de fazer? É possível se readaptar à uma nova realidade sendo um modelo de negócio que já tinha se consolidado no mercado? A resposta para essas e outras perguntas estão logo abaixo, esperamos que o conteúdo agregue bastante valor ao seu negócio.

Para isso considere inicialmente que após o surto do vírus você se deparou com contas a pagar, baixo faturamento, a empresa já não possuía clientes e não tinha controle sobre suas atividades internas. Todos os seus colaboradores estão em casa, todos os seus clientes também, e isso fez com que os resultados desse mês não alcancem seus objetivos, e você percebe que se permanecer nessa situação por mais 2 ou 3 meses, a sua empresa pode beirar a falência.

O primeiro passo que você deve tomar é organizar tudo, as atividades tomaram um rumo que você não podia controlar. Então primeiramente:

O PRIMEIRO DOS PASSOS É ORGANIZAR A CASA:

Liste num papel quais são as principais atividades realizadas na sua empresa, desde o atendimento até a entrega de seu produto ou serviço. Para tornar mais claro observe a lista abaixo considerando como se um restaurante listasse suas principais atividades cotidianas.

Identifique quais dessas atividades tiveram maior impacto devido ao vírus. No nosso exemplo podemos utilizar o atendimento ao cliente visto que o isolamento social impede que haja a interação direta com os clientes.

O próximo passo é utilizar o Process Model Canva, para identificar quais os processos dessa atividade necessitam de alteração ou de atenção. Preencha o formulário abaixo para fazer download do documento:

 

Siga o exemplo acima para identificar os pontos que necessitam maior atenção.  Após identificar quais são as atividades que são impossibilitadas de serem realizadas devido a pandemia, você busca encontrar saídas para tornar possível aquela atividade. Se não houver saídas (mesmo após uma pesquisa de como os concorrentes estão atuando com esse processo), veja a possibilidade de excluir essa etapa do processo.

Feito isso, você terá sua organização preparada para atuar no ambiente de crise em que estamos. Não esqueça de ser bem criterioso nos processos. Identifique qualquer mínimo detalhe que possa ser otimizado nas atividades da sua empresa, e lembre de deixar bem visual para ajudar no seu processo criativo, e sempre busque fontes externas, que possa auxiliar no entendimento do processo, visando uma melhor atuação dessa atividade. Após estruturar sua organização siga para o próximo passo!

ANALISE O SEU NEGÓCIO E O QUE PRECISA RECUPERAR

Após ter estruturado todas as atividades operacionais do seu negócio durante o período de crise, avalie como ele pode se comportar frente aos concorrentes e frente a nova realidade econômica. Faça uma análise das forças e fraquezas do seu negócio, identificando características internas que tornem o seu negócio e o seu produto um diferencial no mercado. Além disso, busque as oportunidades em tendência no mercado, para isso veja a lista de sites que identificam tendências de mercado logo abaixo:

– TREND WATCHING:

Com o trending watching é possível assinar as News para receber constantemente relatórios sobre as tendências de mercado para seu negócio, é possível também ter relatórios muito mais detalhados no plano pago.

Clique aqui para visitar o site: https://trendwatching.com/freepublications/

– SPRINGWISE

O site organiza as tendências mais recentes através de seus colaboradores que estão presentes ao redor do globo, identificando assim, não só tendências regionais, mas também globais.

Clique aqui para visitar o site: https://www.springwise.com/

– COOL HUNTING

Com tendências em design, cultura e tecnologia, o site gera diversos insights que ajudam o leitor a encontrar saídas para o seu negócio.

Clique aqui para visitar o site: https://coolhunting.com/

– K-HOLE

O site disponibiliza constantemente relatórios em PDF baseados nas tendências enxergadas em Nova York que pode servir de embasamento para acontecimentos globais. A equipe do site já prestou serviçi para empresas como MTV, Kickstarter, Stella Artois e MoMA.

Clique aqui para visitar o site: http://khole.net/

– WGSN Insider

Com dedicação a equipe dessa organização buscam entender o futuro para traçar novas tendências. O site possui um blog bastante intuitivo, com conteúdos ricos que vale a pena dar uma conferida.

Clique aqui para visitar o site: https://www.wgsn.com/blogs/strategy/technology/

CONTABILIZE AS PERDAS DURANTE A CRISE

Após identificar oportunidades, e ajustar o seu negócio a um novo posicionamento de mercado, identifique quais foram as perdas que sua empresa obteve nesse curto período pelo qual passou em crise. Identifique quais são as principais dívidas, os impostos, enfim, os mais diversos gastos gerados pela crise.

Para te auxiliar um pouco sobre como estruturar sua empresa financeiramente, dê uma olhada em como nos organizamos a estrutura financeira de nossos clientes aqui na ADM Soluções.

RENEGOCIE AS DÍVIDAS E REDUZA GASTOS

Identifique quais são os maiores centros de gastos, e quais são os fornecedores/colaboradores que precisam ser pagos ainda, e renegocie!

Todos estão passando pela situação e sabem o quão difícil está sendo para o comercio se manter. Estabeleça um acordo para que sua dívida seja paga em longo prazo. Mas não só estabeleça, defina metas individuais e corporativas para que esse objetivo seja alcançado e que não haja um acumulo nas suas dívidas.

Além disso, reduza os seus gastos operacionais. Em tempos de crise você precisa atuar com o mínimo produto viável. Ou seja, um produto que agregue maior valor, mas que tenha um custo reduzido. Isso ajuda a criar uma margem maior de ganhos para a empresa.

IDENTIFIQUE AS OPORTUNIDADES

Aproveite todos os benefícios que o mercado possa oferecer para sua empresa! Desde uma campanha do governo para auxílio de pequenos empreendedores, até um investimento em consultoria empresarial, que possa trazer um maior direcionamento e um auxilio na tomada de decisão baseada em fatos e dados. Não esqueça que mesmo em período de crise, existem oportunidades de recuperação, onde a sua empresa pode se sobressair aos concorrentes.

A Forbes abriu um canal para ajudar pequenas e médias empresas. O serviço Forbes Pitch, contará com a curadoria da Forbes que irá avaliar a idoneidade da empresa, número de funcionários, serviços oferecidos, presença on-line e capacidade de entrega. Para participar basta preencher um formulário na página do anúncio e enviar um vídeo gravado de até 15 segundos e a logo da empresa. O link para se inscrever na campanha da Forbes está logo abaixo:

Clique aqui para acessar a página!

CONSTRUA E EXECUTE UM PLANO DE AÇÃO

Após ter passado por todo processo de estruturação, você saberá como o seu negócio pode se comportar na conjuntura atual da economia, e que passos tomar para o seu negócio se recuperar de uma crise. Agora liste todas as atividades que precisam ser feitas para que tudo isso possa ter início. Com todas as atividades essenciais, que fazem com que seu negócio possa funcionar na prática, priorize numa escala de impacto/esforço, para identificar quais são os primeiros passos que você deve trilhar para que seu negócio comece a andar.

As atividades que necessitarem de maior esforço e com pouco impacto, podem ser descartadas ou despriorizadas. As que tiverem pouco esforço e pouco impactos terão baixa atenção. As que tiverem alto esforço e alto impacto, podem ser colocadas em segundo plano. Já as que tiverem baixo esforço e alto impacto, devem ser executadas urgentemente.

Monte um plano contendo seus passos para se recuperar de uma crise, objetivos organizacionais, o que indicará que esse objetivo foi alcançado, quais são as ações e quais os ganhos caso alcance esse resultado. E além disso, o mais importante, não só construa um plano sem ação. O plano não passará de mensagens no papel se você não colocar em prática tudo aquilo que decidiu alcançar.

Esperamos ter ajudado com o conteúdo!

Lembrando que você pode sempre contar com nosso auxilio para toda essa estruturação. Não perca tempo e alcance os resultados tão esperados da sua empresa.

Posts Relacionados:

5 passos para definir seu modelo de negócio

Vivemos em um mundo de constante processo de atualização. As informações transitam de uma ponta do globo a outra em questões de segundos. Algumas empresas crescem, outras têm baixa e algumas até mesmo deixam de existir. Tudo isso devido à falta de conhecimento do mercado que atuam. O que torna o seu negócio antiquado ao modelo atual em voga.

Um relatório do Sebrae, sobre o percentual de sobrevivência de empresas no Brasil, demonstra o cenário preocupante no qual temos que 24,4% das empresas abertas, fecham as portas com menos de 2 anos de existência, e 50% com menos de 4 anos.

Visto isso podemos listar uma série de motivos para esses números como: a política atual, impostos altíssimos, poucos fornecedores de matéria prima etc. Visto isso o principal motivo para a queda dessas empresas é a ausência de um planejamento do negócio, e um estudo mercadológico sobre seu modelo de negócio (público alvo, tendências do mercado etc).

“Estar interessado no futuro pode parecer óbvio, porém nem sempre é uma realidade. Existem muitos empresários e executivos que não estão interessados no futuro de suas organizações. Alguns deles são saudosistas do passado, outros só estão preocupados com o imediato. Aqueles que realmente estão preocupados com o futuro trabalham para fazê-lo e se obrigam a agir de forma estratégica”. (GAJ, 1987).

 

QUAL A IMPORTÂNCIA DE PLANEJAR SEU MODELO DE NEGÓCIO?

Existem duas palavras que direcionam o sucesso das grandes empresas, e elas são: ESTRATÉGIA e PLANEJAMENTO. O conceito de estratégia foi transferido do campo militar para a gestão organizacional. Significa a arte de explorar condições favoráveis para alcançar objetivos específicos. Ou seja, é a busca pelo melhor caminho a seguir. Levando em consideração a interação do ambiente interno da empresa com o ambiente externo. Além de permitir uma análise de posicionamento do negócio em que a sua empresa seja estrategicamente favorável às tendências mercadológicas.

Certamente é normal termos dúvidas sobre o que é o plano de negócios quando nunca tivemos um contato com ele antes. Ele nada mais é do que um documento descritivo sobre o seu negócio. Visa apresentar a empresa para fornecedores, investidores, parceiros e colaboradores. Porém todo esse documento deve ser elaborado estrategicamente, visando perpetuar a empresa e definir o futuro da empresa, analisando todos os dados atuais e traçando medidas à serem tomadas para que seus objetivos sejam alcançados.

Portanto o plano de negócios é quem vai dizer o que sua empresa vai ser daqui há alguns anos, onde ela vai atuar, por qual motivo esse modelo de negócio lhe atrai, quem são os responsáveis pelos processos internos, quem são os compradores e investidores, quando ela vai se tornar o que você quer que ela seja, quanto vai custar esse desenvolvimento, quanto ela vai lhe trazer de retorno e principalmente como você vai fazer tudo isso acontecer.

Viu como é importante ter um plano para o seu negócio? Agora vamos ver os principais pontos para guiar o plano:

COMO MONTAR O SEU PLANO DE NEGÓCIO?

Abaixo seguem as principais etapas para que seu negócio seja bem estruturado e tenha uma base concreta para funcionamento.

                                                                         

1. Ideia:

Todo negócio precisa partir do papel. Essa etapa é a concepção geral do seu negócio, onde você deve jogar todas as suas ideias e informações sobre o negócio que você quer montar, e fazer uma descrição breve para guiar a construção do modelo de negócio. Algumas informações são cruciais para esse momento como:

  • O que é a empresa?
  • O que o plano pretende?
  • Qual o produto/serviço da empresa?
  • Onde a empresa está/estará localizada?
  • Onde está o mercado/cliente da empresa?
  • Por onde a empresa irá se comunicar com o público?
  • Por que a empresa elaborou um plano de negócios?
  • Por que a empresa precisa de recursos?
  • Como a empresa empregará os recursos?
  • Como está/estará a saúde financeira do negócio?
  • Como está/estará crescendo a empresa?
  • De quanto recurso a empresa necessita?
  • Quanto será o retorno do investimento?
  • Quando o negócio foi criado?
  • Quando a empresa precisará de recursos?
  • Quando ocorrerá o retorno sobre os recursos?
  • Quem realizará as tarefas?
  • Quem é o cliente?
  • Quem elaborou o plano de negócios?
  • Qual a lucratividade pretendida da empresa?

É de suma importância que todas essas informações sejam retiradas em conjunto, num compilado de ideias, com todos os e.nvolvidos no desenvolvimento do plano. Pois todas essas informações trarão uma particularidade ao negócio definindo o seu perfil estratégico, alinhado ao perfil dos sócios, colaboradores e investidores.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR UM MODELO DE SUMÁRIO EXECUTIVO PARA DESENVOLVIMENTO DA SUA IDEALIZAÇÃO DO NEGÓCIO.

                                                                                   

2. Mercado:

Após a definição do seu posicionamento estratégico, e a concretização de como será a operação do seu negócio, partimos para o estudo mercadológico. Para o estudo mercadológico é importante demonstrar auto conhecimento sobre a empresa, e um conhecimento do contexto de mercado ao qual está inserida. A analise do mercado permite avaliar todos os envolvidos no processo de compra e venda de produtos/serviços, como concorrentes, fornecedores, investidores e clientes.

Para definição de mercado de atuação é necessário fazer uma análise setorial, buscando dados referentes a tamanho, índice de crescimento e estrutura do setor de mercado em que a empresa atuará.

Após identificado o mercado geral, busca-se a segmentação do público-alvo, que deve ser definido a partir das características do produto, do perfil do consumidor e outros fatores que afetam diretamente no consumo do produto. Para isso realizamos a pesquisa de mercado, visando conhecer a aceitação e o comportamento do público, facilitando o posicionamento da marca para atrair clientes que possuem maior adesão à esse produto.

Por fim, analisamos a concorrência . Como já dizia o mestre da guerra Sun Tzu:

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo e nem a si mesmo, perderá todas as batalhas…”.

Informações importantes para coletar sobre como o mercado opera atualmente, são importantes para trazer insights para o seu negócio. Segue a lista de informações necessárias que devem ser obtidas de seus concorrentes:

  • Número de vendedores e grau de diferenciação;
  • Barreiras à entrada e mobilidade;
  • Barreiras à saída e encolhimento;
  • Estrutura de custos;
  • Estratégias de vendas;
  • Composto de produtos/serviços;
  • Forças e fraquezas.

FAÇA SUA PESQUISA DE MERCADO CONOSCO!

3. Negócio:

Essa etapa se refere à forma da empresa operar. Desde a estrutura gerencial até a operação cotidiana, distribuição e controle dos produtos ou serviços. Aqui você deve definir como a empresa realiza seu trabalho, como cuida da qualidade dos produtos e processos, como utiliza seus equipamentos e recursos, como se relaciona com as pessoas que fazem parte do quadro de colaboradores, como controla seus custos etc.

Para isso, você deve estruturar o organograma da empresa, representando os níveis de autoridade dos cargos, além de definir o procedimento operacional padrão e analisar todos os processos da organização de forma que torne uma operação fluida, com qualidade na sua execução.

Além disso, deve se observar o quadro de distribuição do trabalho. O qual visa definir quais serão as atividades e quais o responsáveis por cada atividade, otimizando sempre o tempo e evitando sobrecargas nos colaboradores.

4. Projeções:

Tendo toda a estrutura da organização definida, chegou a hora de analisar a estruturação financeira. A análise financeira deve ser apoiada por dados, para que se torne tangível o sucesso do negócio, e o seu retorno sobre o investimento.

Segundo o livro Plano de Negócio – Estratégia para Micro e Pequenas Empresa, de Luiz Arnaldo Biagio e Antonio Batocchio, a inclusão de um plano financeiro no plano de negócio, deve demonstrar um conjunto de projeções que possam refletir o sucesso futuro da empresa.

Ou seja, as projeções financeiras devem garantir com base em dados, que a empresa trará um retorno e conseguirá se manter viva, nos mais diversos cenários econômicos. Isso dirá a você se o seu negócio é viável ou não de ser implementado.

O plano financeiro deve conter o balanço patrimonial, a demonstração de resultados, plano de investimentos, fluxo de caixa pretendido, planilha de custos e plano de vendas.

Visto isso, você deve estabelecer metas financeiras, para que toda a operação da empresa se baseie em alcançar tais objetivos, levando em consideração todos os dados levantados no plano financeiro. Além disso, as metas devem ser acompanhadas constantemente, garantindo o sucesso do plano e a saúde financeira do negócio. Veja um método para acompanhamento de suas metas clicando aqui!

5. Ação:

Em conclusão, temos a mão na massa! É hora de colocar todo o modelo de negócio em ação, contatar todos os envolvidos, correr atrás das metas, trabalhar em equipe, fazer as aquisições, buscar os investidores, apresentar seu plano de negócio a todos e fazer acontecer!

É importante ressaltar a importância do constante processo de melhorias e teste, para estar sempre preparado caso necessite de um plano B. Para isso existe o ciclo PDCA, que você pode conhecer melhor clicando aqui.

Gostou do artigo? Que tal colocar seu negócio para funcionar? Se inscreva nas nossas News pra ficar por dentro de todo conteúdo para te ajudar com o gerenciamento do teu negócio, ou entre em contato com um de nossos especialistas para que possamos te ajudar a alcançar os objetivos da tua empresa!