ADM Soluções

Os efeitos do Covid-19 no Setor Alimentício

A pandemia afetou praticamente todos os segmentos do mercado mundial no início de 2020. Visto isso, falaremos um pouco acerca desses efeitos do Covid-19 no setor alimentício.

O setor alimentício é, sem dúvidas, um dos maiores e mais importantes setores da economia nacional. Tendo em vista que, de acordo com dados apresentados pela Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), a indústria de alimentos – que abrange a produção de produtos alimentares e bebidas – faturou cerca de 700 bilhões de reais, em 2019, que corresponde a 9,7% do Produto Interno Bruto do Brasil (PIB).

 

1. Divisão do Setor Alimentício

Esse setor, é dividido em duas vertentes maiores: Varejo alimentício e Food Service. Entretanto, deve-se levar em consideração, o tipo de negócio, pois uma confeitaria é diferente de um restaurante self-service, por exemplo.

O Varejo Alimentício caracteriza-se pelos comércios, supermercados, atacarejos, entre outros. Já o Food Service representa toda a grade de produção e distribuição de alimentos, desde insumos, equipamentos até serviços.

De acordo com probabilidades realizadas pela Abrasel(Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), cerca de 10% dos restaurantes podem ter as suas portas fechadas definitivamente. Portanto, ao tratar-se de uma estimativa, até o momento não é possível ter números exatos para constatar os efeitos dessa crise pandêmica.

2. Mercado Pré e Durante a Pandemia

 

 

Antes da pandemia, havia uma procura elevada pela vertente de Varejo Alimentício. Entretanto, houve, assim que iniciado o surto de Covid-19, uma redução na compra de insumos. Logo, os estoques de algumas áreas da vertente, aumentaram, fazendo com que produtos viessem a vencer, gerando prejuízos para os empresários e donos de indústrias.

Já na vertente do Food Service, havia uma procura elevada por serviços de delivery. Mas, que em muitos casos, correspondia a somente uma pequena fatia da porcentagem de vendas desse setor. Para melhor entender como trabalhar seu delivery e migrar para o meio digital, clique aqui para conferir essa publicação no nosso blog.

Com o Lockdown criado para evitar a proliferação do vírus, aumentou essa fatia, chegando a cerca de 30% de crescimento no número de pedidos. Dessa forma, aqueles restaurantes e empreendimentos que já desenvolviam esse tipo de serviço tiveram a sua demanda aumentada. Isso tem significado uma possibilidade de continuação dos trabalhos para tantos outros empreendimentos. 

3. Pontos Positivos da Crise do Coronavírus

Toda crise traz pontos e efeitos positivos. A crise do Covid-19 não foi diferente. Dentre eles, o aumento de empreendedores, e busca por alternativas rentáveis para os negócios são alguns desses pontos, fazendo com que, pessoas que não empreendiam e empresas que não se reformulavam e não se adequavam aos clientes, tomem esse tipo de decisão, trazendo a mudança para o ramo alimentício.

 

 

 

4. Ações Realizadas:

 

Várias ações estão sendo feitas por empresas de grande porte para ajudar esse mercado e a Abrasel tem desempenhado um importante papel na busca por levar soluções e informações a seus associados. Ela lançou na semana do dia 20/04/20 o “Guia para uma entrega segura em casa para todos”. De acordo com a Abrasel o objetivo do guia “é ajudar empresas, clientes e parceiros a cumprirem as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) no combate e na prevenção da Covid-19, partindo das especificidades de cada tipo de entrega e cada etapa do processo.”

A Abrasel também criou um whatsapp direcionado ao suporte e orientação para donos de bares e restaurantes com o intuito de sanar as dúvidas e as incertezas desses empresários em relação ao setor. Então, clicando aqui, você pode visitar o site da associação e informar-se mais sobre essa iniciativa.

Para estar falando com um dos nossos consultores e entender melhor sobre os efeitos do Covid-19 no setor alimentício, clique aqui.