Quantos produtos tem em seu estoque? Quanto vale seu estoque? Você possui um controle efetivo de estoque? Neste artigo iremos te apresentar a importância de uma gestão de estoque e alguns métodos que podem ser utilizados para o mesmo. Neste artigo você verá:
  • O que é Gestão de Estoque;
  • Qual a importância da Gestão de Estoque;
  • Como identificar a necessidade de uma Gestão de Estoque;
  • Métodos utilizados para gerir estoque.
Gestão de Estoque

O que é Gestão de Estoque?

Gestão e controle de estoque corresponde ao processo que se inicia na escolha do tipo de estoque que sua empresa vai trabalhar. Isto vai abordar desde a forma de organizá-lo até o inventário, o qual deve ser feito periodicamente. Primeiro de tudo, o estoque consiste nos recursos materiais que podem ajudar a organização a gerar receita no futuro. Ademais, pode-se analisar que o controle de estoque vem se tornando uma tarefa árdua. Isso ocorre devido às variedades existentes, como também, ao aumento da competição global. Um exemplo disso são as companhias de cerveja, as quais ofereciam, há poucas décadas, apenas um tipo de produto, sendo ele a garrafa de 600 ml. Porém, nos dias atuais, existem diversos tipos de cervejas e embalagens, tornando a gestão de estoque muito mais complexa.

Qual a importância da Gestão de Estoque?

A gestão de estoque é de suma importância para empresas que dependem de produtos estocados, para que sejam feitas análises dos produtos consumidos e das suas sazonalidades de vendas. Além disso, é utilizado como auxílio para encontrar o local ideal para o estoque e, nas tomadas de decisões da área comercial da empresa. Isso resultará em um controle eficaz, pois baixos níveis de estoque podem levar a perdas de vendas e altos custos por falta de produtos. Enquanto isso, o excesso de estoque representa custos operacionais e de oportunidade de capital que poderia ser investido. Consequentemente, com uma gestão de estoque eficiente, a empresa obterá vendas rápidas, isto é, distribuição de produtos e retorno financeiro rápido, em prazos curtos para pagamentos. Além do supracitado, é importante que se tenha um bom sistema de estoque, para auxiliar da maneira correta. É importante que se tenha análises de fácil compreensão e com dados assertivos. Diante disso, será possível descobrir qual estoque ideal para a organização. Com isso, o gestor terá controle sobre o preço das vendas e das compras com seus fornecedores. O contato com os fornecedores devem ser realizadas de forma programada para que não ocorra erros de ambas as partes.

Como identificar a necessidade de uma Gestão de Estoque?

Olhando para as perguntas do início do artigo, se sua resposta for “não” para algumas delas, isso significa que é necessário dar uma atenção para esse serviço. Apesar de sua importância e complexidade, a gestão de estoques ainda é negligenciada em muitas empresas. Ele também é classificado como uma questão não estratégica e restringida à tomada de decisões em níveis organizacionais mais baixos.

Entretanto, muitas empresas já perceberam como esse método pode auxiliar na vantagem competitiva. Estas empresas estão, inclusive, olhando para os estoques ao longo de toda a cadeia de suprimentos da qual fazem parte. Além disso, é importante analisar o ambiente interno da empresa para implantação da gestão de estoque. Com base nessa análise, será possível selecionar um método, além do benchmarking. Uma vez que o método utilizado em uma empresa, pode não ser o adequado para outra e, com isso, não obter sucesso.

Métodos utilizados para gerir estoque:

Curva ABC – O método bastante utilizado é chamado de Curva ABC, também nomeado de 80/20. Este método representa que 20% dos seus produtos representam 80% das suas vendas. Seguindo tem-se que 30% dos seus produtos representam 15% das suas vendas e 50% dos seus produtos representam 5% das suas vendas. Diante disso, é importante ter atenção aos 20% que representam 80% das vendas, visto que muitos de seus clientes vão em busca desse produto e, caso falte, poderá ocasionar a perda desse cliente. Método PEPS – O método PEPS ou Primeiro que Entra, Primeiro que Sai, obedece à ordem cronológica das mercadorias. Desta forma, os primeiros produtos que entram serão os primeiros a saírem. Nesse método, usam-se os custos dos lotes mais antigos, quando esse lote sai, usa-se, em seguida, o custo do segundo lote mais antigo e, assim, sucessivamente. Este método é bastante recomendado, sendo inclusive utilizado pelo Fisco. Entretanto, o mesmo não é aplicável em todos os setores. Ele é inviável, por exemplo, nas empresas que trabalham com gêneros perecíveis como alimentos. Método MPM – O método da Média Ponderada Móvel ou Preço Médio Ponderado é o mais utilizado no Brasil, devido à sua facilidade de implementação. Este método é controlado de modo permanente, visto que a cada aquisição de mercadoria é refeito o cálculo de custos, com base na nova mercadoria adquirida. Sendo assimsoma-se os custos do primeiro lote com os do segundo lote e divide-se pela quantidade total de produtos. Com este método de controle, o preço médio do patrimônio estocado irá oferecer uma rentabilidade mediana e segura.

Conclusão

Como resultado, foram apresentados alguns métodos de controle de estoque com ênfase na importância da sua aplicabilidade para crescimento da empresa. A partir do supracitado, isso está relacionado com a área de vendas e finanças. Gostou do nosso artigo? Tem interesse em conhecer mais sobre como melhorar seu estoque? Sendo assim, entre em contato com a equipe da ADM Soluções! Créditos: Esse artigo foi desenvolvido por Sarah Rocha, consultora da ADM Soluções.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.