O que é o ciclo PDCA e sua importância corporativa 

Em um mercado em que o destaque é cada vez mais necessário por conta da competitividade, é recomendado que um dos passos a seguir seja na gestão de processos.

Antes de tudo, é importante entender que o objetivo da área é evitar ineficiência e dúvidas durante os processos da empresa, a fim de que trabalhem mais ordenados e com metas definidas.

Portanto, o ciclo PDCA é uma ferramenta fundamental para alcançar esse objetivo. 

O que significa?

Primeiramente, precisamos saber o significado das letras que formam o PDCA, siglas emprestadas do inglês, que indicam as etapas da metodologia:

 

  • P, Plan – Planejar – traçar os objetivos, métodos e processos necessários para entregar os resultados de acordo com os requisitos e políticas pré-determinadas.
  • D, Do – Executar – implementar as tarefas necessárias.
  • C, Check – Verificar – monitorar e avaliar os processos em relação aos objetivos e requisitos acordados para relatar os resultados.
  • A, Act – Agir – executar ações para promover continuamente a melhoria dos processos.

 

Dito isso, podemos aprofundar mais sobre como cada etapa funciona individualmente. 

 Como funciona?

  • Planejar

A princípio, antes de executar o processo é preciso planejar as atividades, definir a meta e os métodos, portanto, o planejamento é responsável por desenvolver os planos de ações.

Então, é possível iniciar a elaboração de procedimentos que garantirão a execução dos processos de forma competente.

  • Executar

Após o planejamento, acontece a execução de tarefas de acordo com as especificadas no plano e também a coleta de dados usados ​​para controlar o processo.

Assim, nesta fase, o que o programa determina é colocado em prática, mas para suceder, as pessoas precisam ser competentes.

Para isso, o treinamento irá permitir o desempenho das atividades de forma eficaz, podendo ser por reuniões em grupo ou no próprio local de trabalho, ou seja, onde decorrem as atividades ou tarefas.

  • Verificar 

Esta é a fase de monitoramento, medição e avaliação para comparar os resultados da execução com os planos e documentar os problemas. 

Nela, a compreensão dos programas é verificada, questiona-se sobre a execução correta e sobre o entendimento da  demonstração.

Feita de forma contínua, essa verificação pode ser feita por meio da observação e monitoramento dos índices de qualidade e produtividade, um exemplo de como fazê-la é pela ferramenta de auditorias internas de qualidade.

  • Agir

Em conclusão, esta fase indica o estágio da solução para o problema encontrado.

Existem duas situações: alcança-se o resultado esperado e não alcança. Se atingido, o método de trabalho é aplicado à rotina do processo.

Dessa forma, se os resultados não forem os esperados, será verificada a conformidade com os critérios, a causa dos problemas e se é necessária uma nova aplicação do ciclo PDCA. 

 

 

Precisa de ajuda para entender mais sobre como aplicar esse conteúdo em sua empresa? Fale com um de nossos consultores!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.