O que é uma startup? Quais as dores?

Antes de tudo, o que é uma startup?

O termo startup  é muito novo e, apesar de conhecido, poucos sabem dizer  que o ele significa. Muitos acreditam que é uma empresa em sua fase inicial. Mas, não é só isso que as define.

Então, a definição correta de startup é uma empresa que possui um modelo de negócios que cresce rápido sem aumentar as despesas. Elas são inovadoras e, normalmente, usam muita tecnologia. Também são construídas por um grupo de pessoas com perfil e mindset empreendedor.

O Brasil tem 12.700 startups, de acordo com a Associação Brasileira de Startups (Abstartups) — crescimento de 27% em relação a 2018, quando eram 10 mil empresas e 20 vezes mais do que em 2011, ano de fundação da Abstartups, que contabilizou 600 negócios à época.

Nesse sentido, depois de entender o quão desenvolvido está o setor e pensando em como as startups reagiram a pandemia, a ADM Soluções formulou esse post, apresentando para você os pontos fortes e fracos desse tipo de organização.

E como a pandemia afetou tanto essas Startups ?

Como consequência desse impacto, algo em torno de 100 milhões de startups são criadas por anos no mundo e, no Brasil, 74% delas fecham antes de completar 5 anos (de acordo com o estudo da aceleradora Startup Farm), ou seja, durante o período de amadurecimento.

Esses problemas estão relacionados ao que chamamos de as “dores do crescimento”, fazendo referência ao que sofrem muitos adolescentes durante o  rápido desenvolvimento que passam.

Alguns desses problemas:

  • Falta de identificação dos custos e das despesas da organização.
  • As empresas de bens e também as de serviços, costumam falhar no cuidado com as questões típicas da área da logística (lead time de pedidos, de produção e de entrega; nível de serviço da operação; controle e manutenção de estoques e desenvolvimento de fornecedores).
  • A empresa não se preocupa com os detalhes da segurança jurídica do negócio. Que deve ser bem examinada, para quê a organização se prepare para ações agressivas de fornecedores, clientes, concorrentes e governos;
  • Ignora a avaliação do tempo de processo e da distribuição das tarefas.
  • Não cuida da administração financeira, principalmente na separação das contas da pessoais das contas da empresa.

Pontos fortes, ou melhor, como essas empresas sobreviveram à pandemia:

Alguns pontos foram cruciais para essas empresas, que apesar dos números, enfrentam e vivem a mesma realidade epidemiológica que a nossa.

  • As startups podem funcionar em qualquer lugar:

Hoje em dia, grande parte das startups estão localizadas em um coworking, portanto, não possuem uma grande estrutura por trás. Isso deixa o custo da empresa mais baixo. Além disso, como não necessitam de um espaço físico, elas podem se adaptar e render em qualquer lugar.

  • Equipe formada por pessoas com diferentes habilidades:

Afinal, sem uma boa equipe, nenhum negócio vai para frente. Dessa forma, uma grande característica que vemos nas startups é que elas possuem em seu time pessoas capacitadas e de diversas áreas, agregando diferentes olhares para a empresa e para os novos projetos.

  • Conectadas ao digital:

Para ser uma startup não precisa estar diretamente ligada ao digital e a grandes tecnologias, mas essa ferramenta se mostrou extremamente eficaz nesse período de pandemia. Por estarem já mergulhadas no mar digital, obtiveram um melhor preparo quando grande parte do mercado precisou migrar para o online. Além de apresentarem uma grande diferença em relação às empresas tradicionais, principalmente devido o seu investimento pesado em marketing.

E ai? Gostou desse conteúdo? Para mais informações sobre esse e outros  serviços, clique aqui.